Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
TerraCottem  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
Quando as árvores estão morrendo cuidado com a saúde das pessoas.
 
 
 
 
 
Mau-olhado pra lá, arruda pra cá!

Apesar de ter aplicação na medicina natural e até na preparação de bebidas, a arruda ficou famosa mesmo pelos seus poderes contra o mau olhado e outras vibrações negativas.

Não é fácil determinar quando surgiu a fama da arruda (Ruta graveolens) como erva protetora. O que se sabe é que em culturas muito antigas, são encontradas referências sobre seus poderes contra as "más vibrações" e seu uso na magia e religião. Na Grécia antiga, ela era usada pare tratar diversas enfermidades, mas seu ponto forte era mesmo contra as forças do mal. As experientes mulheres romanas costumavam andar pelas ruas sempre carregando um ramo de arruda na mão, diziam que era para se defenderem contra doenças contagiosas, mas principalmente, para afastar todos os males que iam além do corpo físico e aí se incluíam as feitiçarias, mau olhado, sortilégios, etc.

Na Idade Media, época em que se acreditava que as bruxas só poderiam ser destruídas com grandes poderes como o do fogo, a arruda reafirmou sua fama, pois seus ramos eram usados como proteção contra as feiticeiras, e ainda, serviam para aspergir água benta nos fiéis em missas solenes. O uso desta planta nas práticas mágicas do passado é impressionante. Em todas as referências pesquisadas, há receitas que empregam a arruda como ingrediente. William Shakespeare, na obra Hamlet, se refere a arruda como sendo "a erva sagrada dos domingos". Dizem que ela passou a ser chamada assim, porque nos rituais de exorcismo, realizados aos domingos, costumava-se fazer um preparado a base de vinho e arruda que era ingerido pelos "possessos" antes de serem exorcizados pelos padres.

A fama atravessou séculos e fronteiras, e no tempo do Brasil Colonial a arruda já podia ser vista com freqüência repetindo a performance dos tempos antigos, só que, desta vez, associada aos rituais africanos. Numa famosa obra intitulada “Viagem Histórica e Pitoresca ao Brasil, o artista Jean Debret retrata o comércio da arruda realizado pelas escravas africanas. O galho de arruda era vendido como amuleto para trazer sorte e proteção. E não eram apenas as escravas que usavam os galhinhos da planta ocultos nas pregas de seus turbantes, as mulheres brancas colocavam o galhinho estrategicamente escondido nos seios. Outro fator teria reforçado o valor da arruda naquela época: “a infusão feita com a planta era usada como uma espécie de anticoncepcional e abortivo”.

Medicinal, com reservas

Também conhecida como arruda dos jardins, arruda fedorenta ou ruta de cheiro forte, a arruda é uma representante da família das Rutáceas. É uma planta considerada subarbustiva ou herbácea, lenhosa, que apresenta caule ramificado, pequenas folhas verde acinzentadas e alternadas. As flores também são pequenas e de coloração amarelo esverdeada. Originária da Europa, mais especificamente do Mediterrâneo, a arruda se dá muito bem em solos levemente alcalinos, bem drenados e ricos em matéria orgânica. A planta necessita de sol pleno pelo menos algumas horas por dia. Sua propagação se dá por meio de estacas ou sementes.

Trata-se de uma planta muito resistente que, se atendidas suas necessidades básicas de cultivo, dificilmente apresentará problemas. A colheita normalmente pode ser feita cerca de quatro meses após o plantio.

Quanto às propriedades medicinais da arruda é interessante: divulga-se que a planta apresenta propriedades muito ligadas ao desejo sexual masculino e feminino, mas de formas diferentes: seria um "antiafrodisíaco" para os homens e um excitante pare as mulheres Ainda não foi possível comprovar a veracidade dessas indicações, entretanto, nos escritos, datados de 1551, de Hieronymus Bock, considerado um dos primeiros botânicos da historia, havia a recomendação, para que monges e religiosos ingerissem arruda, misturada aos alimentos e as bebidas, para garantir a pureza e castidade. A verdade é que esta planta era realmente muito abundante nos jardins dos mosteiros.

Uma substância chamada rutina é a responsável pelas principais propriedades da arruda. Ela é usada pare aumentar a resistência dos vasos sanguíneos, evitando rupturas, e por isso é indicada no tratamento contra varizes. Popularmente, seu uso é indicado para restabelecer ou aumentar o fluxo menstrual e, também, para combater vermes. Como uso tópico, o azeite de arruda, obtido com o cozimento da planta, é aplicado para aliviar dores reumáticas O aroma forte e característico da planta, detestado por muita gente, é considerado um ótimo repelente, por isso a arruda é colocada em portas e janelas parem espantar insetos.

Apesar das propriedades medicinais conhecidas ha séculos, o uso interno desta planta e desaconselhado, pois em grandes quantidades, a arruda pode causar hiperemia dos órgãos respiratórios, vômitos, sonolências e convulsões. O efeito considerado "anticoncepcional" na verdade é abortivo, pois provem da inibição da implantação do óvulo no útero, entretanto a ingestão da infusão preparada com a arruda para esta finalidade é muito perigosa e pode provocar fortes hemorragias.

Por incrível que pareça, a arruda também teve muita aplicação na culinária: suas sementes e folhas eram usadas pare enriquecer saladas e molhos, em virtude das boas doses de vitamina "C" contidas na planta. Seu uso era considerado uma defesa contra o escorbuto. Além disso, a planta também servia para aromatizar vinhos. No sul da Europa, as raízes da arruda eram adicionadas a um tipo de bebida chamada “grappa” para funcionar como um licor digestivo”.

 
Fonte de pesquisa: Revista Tempo Verde



 
 
 
 
Plantas podem ver, ouvir, cheirar e até reagir? (novo)
Na visão de Jack Schultz, plantas são "como animais muito lentos": conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos. - Postada em 16 junho 2017
Sem músculos e cérebro, planta carnívora ainda intriga cientistas
Depois de verem fotos da planta postadas por um naturalista amador no Facebook, pesquisadores confirmaram que aquela espécie de drosera era nova para a ciência. - Postada em 07 março 2017
Plantas conversam entre si e possuem até uma espécie de internet, revelam cientistas
Com o uso de gases e fungos, vegetais avisam que estão doentes ou a chegada de predadores.
A caiação das árvores
Como surgiu a incauta pintura e continua até os dias de hoje.
Ouro cresce em árvore?
Cientistas dizem que sim,
Músicas do Black Sabbath fazem bem às plantas, diz especialista
Ajudam a evitar doenças e faz com que elas floresçam melhor.
Vitória Régia a rainha dos lagos. Além da lenda ...
Diz a lenda, que a lua cheia, dona de encantos fabulosos, teria poderes de transformar lindas jovens em estrelas radiantes a brilhar no céu ao lado de nossas constelações boreais.
Mesa de musgo coleta energia da fotossíntese
Já pensou em ter uma mesa de musgo?
Incrível planta se faz de morta quando é tocada
A planta usa o seu sistema de defesa para enganar predadores.
Coletivo de designers aposta em plantas como acessórios
Eles desenvolveram uma linha de joias que transforma plantas em acessórios.
Árvores criam raízes em excesso e usam-nas como armas
Para que servem essas raízes extras?
Verde que mata
As estratégias de caça de algumas das plantas carnívoras mais estranhas do mundo são perturbadoras, muito além do que os botânicos poderiam imaginar.
Os fascinantes cactos e outras suculentas
As cactáceas são plantas suculentas com folhas completamente reduzidas ou transformadas em mamilos com espinhos.
O mistério das plantas e vasos furtados
Lá em Portugal também acontece. Incrível.
Plantas Companheiras
As plantas também têm preferências e se dão melhor com umas do que com outras.
Japoneses usam cortina feita de pepino e plantas para fugir do calor
O acidente na usina de Fukushima reduziu a produção de energia no país e os japoneses terão que enfrentar as temperaturas altas sem ar-condicionado.
Hóspedes educadas, formigas sabem de longe qual é a sua árvore
Cientistas espécie de formiga que consegue reconhecer a árvore onde vive por sua estrutura química.
Jabuticabeira que produz rápido
Chacareira de Jaguariúna aplica técnica em mudas originadas de sementes, que dão frutos a partir do quinto ano.
Cogumelos
Há milhares de anos, os chineses foram os primeiros a usar cogumelos como alimento.
Lustre ecológico permite cultivar plantas em ambientes fechados
Objeto de decoração ilumina o ambiente ao mesmo tempo que fornece luz para fotossíntese.
Vaso inteligente cuida das suas plantas por você
A tecnologia chegou ao jardim.
Aprenda quais são as plantas para atrair bons fluidos em 2011
As plantas podem ser aliadas para começar 2011 com o pé direito.
Círculo das Fadas
Crie um lugar mágico em seu jardim para atrair as fadas.
A estratégia inteligente das plantas
As plantas e animais aceitaram satisfazer os nossos desejos e paixões com o intuito de se perpetuarem.
Os diversos agentes da polinização
Todos os segredos de um novo organismo vegetal estão contidos em cada minúsculo grão-de-pólen.
Loja vende plantas cultivadas dentro de lâmpadas
A ideia é simples.
Jardim da Magia
Se você quiser cultivar um jardim de que as fadas vão gostar.
Vasos urbanos antiqueda encaixam no muro
Produto está disponível em várias cores e tem design patenteado.
Aromas e perfumas das plantas
Desde os primórdios da humanidade o aroma e o perfume das plantas fascinaram o ser humano.
Que árvore você é?
Veja a sua data de nascimento para saber

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br