Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
TerraCottem  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
Se planejar por um ano, plante uma semente, por dez anos, plante uma árvore, por cem anos, eduque o povo.
 
 
 
 
 
Pesquisa na Unicamp usa plantas ornamentais para tratamento de esgoto doméstico

Um sistema natural para tratamento complementar de esgoto doméstico que utiliza plantas ornamentais, sobre leito de bambu e brita, foi desenvolvido na FEC (Faculdade de Engenharia Civil, Arquitetura e Urbanismo) e testado na Feagri (Faculdade de Engenharia Agrícola) pelo engenheiro civil Luciano Zanella.

O sistema de pós-tratamento foi responsável por 30% da eficiência do sistema de tratamento na remoção de matéria orgânica e consiste em uma alternativa prática do ponto de vista operacional. Não há necessidade de uso de produtos químicos ou eletricidade e, por isso, o sistema torna-se ideal para pequenas propriedades, como sítios e fazendas.

A opção oferece ainda baixo custo de operação e também poderia ser aproveitada por comunidades rurais não-servidas por sistemas convencionais de coleta e tratamento, ou que possuam sistema de saneamento que trate o esgoto de maneira secundária. A utilização de bambu como meio-suporte pode facilitar ainda mais a aplicação em áreas rurais, visto que o bambu é facilmente encontrado em qualquer parte do país.

A proposta, denominada sistema wetland-construído, foi apresentada por Zanella para obtenção do título de doutor na FEC, sob orientação do professor Edson Aparecido Abdul Nour. No Brasil, explica o engenheiro, não havia relato da introdução de plantas ornamentais nesse sistema, embora a utilização desse tipo de tratamento seja crescente. Em outros países, essa configuração de tratamento é largamente usada, sendo encontrada até mesmo para o tratamento de esgoto industrial.

A idéia surgiu a partir de um problema no Vale do Ribeira em que se exigia o tratamento do esgoto em fazenda de plantação de bananas. Em uma investigação dos sistemas existentes, resolvi testar algo já conhecido, adaptando para o tratamento com plantas ornamentais e utilização de bambu, explica o autor da pesquisa.

O engenheiro montou seis piscinas de fibra de dois mil litros cada uma, de forma que o esgoto já tratado da Faculdade passasse pelas piscinas. Em três piscinas ele acrescentou brita ou pedras de construção até a borda e nas outras três o material usado foram anéis de bambu.

Na seqüência, plantou duas espécies ornamentais, o copo de leite e o papiro, uma vez que é sabido que as plantas absorvem os nutrientes do esgoto, colaborando com o tratamento. Em uma segunda etapa, mais oito espécies foram plantadas. O copo-de-leite sozinho não apresentou uma boa adaptação ao sistema. No entanto, junto com outras espécies, como o biri e o mini-papiro, ele teve um melhor desenvolvimento, destaca.

Para selecionar as plantas que poderiam oferecer um bom desempenho no sistema, Zanella fez contato com biólogos e pesquisou junto a paisagistas e produtores de mudas as melhores opções para os ambientes próximos a lagos e rios. As análises contemplaram as características de cor e turbidez, a remoção de sólidos, de matéria orgânica, de nutrientes e de microorganismos. Na maior parte das variáveis, o grau de eficiência foi significativo.

Segundo Zanella, este tipo de sistema é recomendável como um tratamento complementar ao esgoto doméstico já tratado numa primeira etapa em que a remoção dos resíduos mais pesados foi feita. Na proposta do engenheiro, o resultado do tratamento complementar do esgoto poderia ser lançado em rios e lagos.

O sistema melhora muito a aparência, reduziu quase que completamente os sólidos e, razoavelmente, a matéria orgânica. Porém, não posso afirmar se poderia ser utilizado para irrigação, por exemplo, uma vez que não fiz testes para esta finalidade, explica. Outra possibilidade, exemplifica, seria o reuso em vasos sanitários, tema de bastante importância no meio científico e tecnológico nos últimos anos, mas para o qual o esgoto ainda necessitaria de uma desinfecção.

Pedras e bambus

A versatilidade na utilização de pedras e bambus para o pós-tratamento de esgoto doméstico não é novidade. Tanto o bambu como as pedras, explica Zanella, atuam como filtro e meio-suporte para microorganismos que proporcionam o tratamento. As análises, no entanto, apontaram o bambu como alternativa viável, embora com eficiência menor que quando utilizadas as pedras.

Testes estatísticos indicaram que, para as condições impostas ao sistema testado, o tipo de material suporte tem mais significância que a espécie vegetal na obtenção de resultados satisfatórios. Mas isso não descarta a utilização de plantas ornamentais. Neste sentido, o engenheiro considerou que a opção pelas plantas ornamentais tem um efeito paisagístico importante, que diminuiria os índices de rejeição do sistema pela população.

A introdução de espécies de plantas comerciais proporcionaria, inclusive, uma possibilidade de geração de renda para os pequenos produtores. A idéia inicial do trabalho era utilizar plantas de corte para agregar valor ao serem vendidas, fazendo um tipo de cultura hidropônica adaptada.

Pelos resultados, o sistema de pós-tratamento foi responsável, em média, por cerca de 30% da remoção tanto de sólidos em suspensão, quanto de matéria orgânica, em relação ao total obtido na estação de tratamento. O wetland-construído de leito de brita e vegetado com papiro alcançou valores médios de remoção de fósforo total de 27,7%.



Fonte de pesquisa: Portal do governo do Estado de São Paulo





 
 
 
 
Turismo sustentável: uma equação difícil de ser fechada (novo)
A Organização das Nações Unidas declarou que 2017 é o ano Internacional do Turismo Sustentável. - Postada em 15 março 2017
O real valor das árvores
Por que as árvores são essenciais na melhora da qualidade de vida. - Postada em 17 fevereiro 2017
Freqüentadores de parque adotam floreiras e passam a cuidar das plantas
Cada adotante recebeu uma ficha informativa com os cuidados que sua planta necessita e também um certificado de Amigo do Parque.
Plantas reagem ao aquecimento global e lançam gases que ajudam a moderar a temperatura (novo)
Pesquisadores comprovam que o aumento nas temperaturas do planeta faz com que as plantas emitam mais gases na atmosfera.
Cientistas descobrem plantas microscópicas no Oceano Ártico
É como se eles tivessem descoberto uma floresta amazônica submersa no Oceano Ártico.
Plantas abundantes na região amazônica contribuem para a recuperação de solos degradados
Trabalho desenvolvido por pesquisador com plantas, demonstra a capacidade das mesmas de melhorar solos de áreas prejudicadas pela ação do ser humano.
Plantas podem ajudar a tratar o esgoto doméstico
É possível purificar a água em até 95% e reutilizá-la.
Britânicos recriam a Amazônia na região da Cornualha na Grã-Bretanha
Experiência cultiva espécies em cúpulas gigantes e climatizadas, por onde turistas caminham e experimentam a sensação de contato com a floresta.
Água. O diamante azul.
Falta de água. Esse é o principal desafio do Século 21.
Vale a pena neutralizar carbono?
Há quem busque a neutralização de carbono por puro marketing.
Entender o lixo nosso de cada dia
Consideramos lixo aquilo que não tem mais utilidade nenhuma, o que jogamos fora.
Em nome da flora nativa reservas se rendem a agrotóxico
Ameaçadas por pragas, reservas ecológicas no país estão fazendo testes com agrotóxicos com o objetivo de garantir a sobrevivência de espécies nativas.
Florestas tropicais
As florestas tropicais próximas ao Equador terrestre são as que contêm o maior número de espécies animais e vegetais.
Solo degradado pode ser recuperado com plantas nativas
Em ambientes contaminados as plantas podem apresentar distúrbios fisiológicos e nutricionais.
Plantio de árvores e idéias
Quem planta uma árvore assim como ocorre em tantas ações humanas, ao longo da vida desenvolve um vínculo inesgotável com aquilo que produz.
Flora em perigo
Amazônia: uso alterado do solo ameaça plantas.
Biodiversidade da Amazônia
Na Amazônia vivem e se reproduzem mais de um terço das espécies existentes no planeta.
O mentor da Revolução Verde
Embora pouco conhecido no Brasil, benfeitorias não faltam para lhe credenciar aos que ajudaram a mudar o mundo para melhor.
Um planeta sustentável começa dentro de casa
A única saída é educar e estabelecer regras que comecem dentro de sua própria casa.
É uma folha? Uma planta? Não, é um animal!
Seis novos animais (que mais parecem plantas) foram descobertos na Antártica.
O Perigo da poluição da água
A poluição da água traz conseqüências muito graves aos seres vivos.
Estocolmo é verde com louvor
Conheça as ações sustentáveis que tornaram Estocolmo a primeira cidade mais verde da Europa
Chuva problema ou solução?
Enchentes são cada vez mais freqüentes no Brasil e no mundo.
Certificação florestal e sua importância ecológica
As técnicas de manejo florestal requeridas pelo FSC são para aumentar a produtividade da floresta.
Água
Menos de 2% da água que existe no mundo pode ser usada pelo ser humano.
Nova York quer telhados verdes
A prefeitura de Nova York criou subsídios para estimular moradores e empresas a plantarem hortas urbanas no telhado das casas e prédios comerciais.
Amazônia pode perder 4.550 espécies de plantas
As plantas correm risco de desaparecer devido ao uso do solo da região para agricultura e pecuária.
Dicas para proteção ao meio ambiente
Veja o que você pode fazer para ajudar.
Florestas correm risco de parar de 'filtrar' carbono, diz estudo
Especialistas alertam para danos provocados se temperatura terrestre subir 2,5 C.
França adota carroças contra aquecimento global
Ccidades francesas estão substituindo veículos motorizados por carroças puxadas por cavalos para realizar serviços públicos.

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br