Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
TerraCottem  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
Feliz é aquele que transfere o que sabe, e aprende o que ensina
 
 
 
 
 
Terra, planeta água?

Acordo com o som do vento assobiando pelas venezianas que anuncia a chegada de uma tempestade. Há muito tempo não sabemos o que é isso. Os nossos reservatórios de água da chuva já estavam no limite mínimo. Mais um tempo sem chuvas, e ficaríamos totalmente sem água.

Começo a ouvir os primeiros pingos que aos poucos se tornam uma grossa chuva abençoada. Levanto rapidamente para liberar as entradas de água que estão sob o beiral do telhado. Espio pela janela e percebo luz na casa dos vizinhos, que também levantaram para providenciar o aproveitamento do precioso líquido.

Nos últimos quinze anos, temos sofrido com a falta de água. Desde a grande catástrofe, o consumo de água potável por habitante foi limitado a 20 litros por dia. É o máximo que podemos consumir para beber e cozinhar. Nas demais tarefas devem ser utilizadas as águas recolhidas das chuvas, e isso cabe a cada casa ou condomínio providenciar a coleta.

Como chegamos a esse ponto?

Ninguém sabe. Uns dizem que os nossos ancestrais esbanjaram água lavando carros e calçadas (imaginem!); outros dizem que eles não se preocuparam em salvar os rios enquanto ainda havia soluções para a despoluição. Ou culpam ainda as empresas particulares - com a conivência do governo - pelo surgimento do Deserto Amazônico (acreditem, aquilo já foi uma floresta).



Mas o grande desastre recente aconteceu quando a multinacional Trimer, que liberou “por acidente” uma grande nuvem negra de gás tóxico seguida de um despejo de poluentes nas cabeceiras do Rio dos Sinos. Isso foi mortal.

A nuvem tornou o céu escuro como breu por 15 dias. Plantas e árvores começaram a murchar e secar. Fomos obrigados a abandonar as cidades e várias pessoas pensaram em subir a Serra, buscando ar puro e tentando escapar da escuridão. A confusão foi total e muitos morreram pelo caminho.

Não havia lugar para todos nas bolhas que serviam como abrigo. Os que conseguiam uma vaga, apertavam-se como podiam, dividindo um pequeno espaço sem privacidade, respirando um ar reciclado, racionando água e alimentos. Havia uma escala para o banho (não mais que três minutos) e eles aconteciam a cada quatro dias. Isso durou alguns meses, enquanto as empresas de tratamento da água interromperam o bombeamento da água do rio. A poluição era tanta que os filtros não davam conta.

Continuamos, por um bom tempo, a viver naquela situação. Aos poucos, as coisas melhoraram e assim pudemos voltar para casa.

Medidas enérgicas foram baixadas pelo governo, com mais restrições no consumo de água e na produção de lixo. Cada habitante só poderia produzir três quilos de lixo por semana. O que fosse produzido a mais seria recolhido, mas haveria uma multa. No início foi difícil.

A causa do acidente nunca foi explicada, nem os culpados foram identificados, mas, afinal de que isso adiantaria? Com o tempo, acabamos nos adaptando e continuamos a viver da melhor maneira possível.

Agora, volto para cama e tento dormir novamente enquanto o som da chuva embala o meu sono.
 



Artigo enviado por Sonia Fumagalli Mantovani





 
 
 
 
 
 
A arte de cultivar virtudes
O garoto, de 4 anos de idade, aprendia a cultivar e a cuidar das plantas com o exemplo do seu avô.
Queda de árvores e soluções
Artigo enviado pelo autor José Roberto dos Santos, que tem 35 anos de experiência trabalhando como jardineiro.
Morar em um condomínio é viver no Jardim do Éden?
Talvez a idéia que temos do Paraíso seja bem próxima de um lugar protegido do caos exterior ....... Por Raul Cânovas
A crise e o estresse
Uma das formas mais interessantes de combater o estresse é a de se relacionar melhor com a natureza.
O dia em que a terra brotou
Hoje busco pessoas que acreditam em mudanças para uma grande mobilização social voltada para a educação ambiental.
Curiosidade infantil
Planta sente dor? A criança me fitou e disse: "É pro senhor mesmo que perguntei!"
Vc sabe o que é Biomimética?
É uma nova ciência que nos convida a aprender com a natureza.
Paisagismo e seus estilos
Para definir o jardim que queremos em nossa residência, além de termos o cuidado da escolha de um bom profissional, temos que ter em mente a variedade de opções, estilos e técnicas de plantio.
Qualidade de vida pela arborização
Um exemplo a ser seguido em uma cidade de Angola na África.
Coitadas das nossas árvores, coitadas de nossas calçadas
Caminhando pelas calçadas de nossas cidades, quase sempre danificadas por buracos e dos mais variados obstáculos, vemos as árvores.
Origem das flores ainda é mistério para a ciência
Darwin certa vez escreveu que a evolução delas continuava a ser "um abominável mistério".
Um presente inesperado
Ao ganhar de presente uma muda da minha flor preferida, a magnólia-rosa, nunca imaginaria a surpresa recebida...
Paisagismo: o florescer de uma profissão
Paisagismo: o florescer de uma profissão
Paisagismo do Futuro: Sustentabilidade verde
Jardins sustentáveis, ajudando as cidades a alcançarem a sustentabilidade. Qual a importância das áreas verdes nas cidades e conceitos de jardins sustentáveis.
A Sabedoria do Jardineiro
O jardineiro representa a melhor metáfora para designar o perfil de um novo profissional.
Abandono e incompreensão ameaçam legado de Burle Marx
No centenário de nascimento do célebre paisagista,especialistas cobram atenção a sua obra.
Para evitar uma barbárie na destruição da orla marítima no município da Penha - SC.
Apoio de paisagistas conscientes.
Substitua as espécies invasoras de seu jardim
A escolha adequada das plantas é essencial para que não haja nenhum dano ao meio ambiente.
Somos o que somos, mas amamos o que fazemos
Consegui me apaixonar por uma outra profissão: a de paisagista.
A lição do Jardineiro
Uma boa lição para nós! Como o jardineiro sábio, cuidamos das mudinhas das afeições com carinho e as deixamos florescer.
A criança e o jardineiro
Ensinamento.
O seu jardim determina a sua energia
Quando cultivamos uma planta, estamos na realidade cuidando de uma semente de energia.
A flor dos reis
Ao maior dos reis, leve um feixe de orquídeas.
Mais alimento e florestas no ar
Avidez das plantas por gás carbônico abre perspectivas de produzir mais alimento em menos espaço e de amenizar o aquecimento global.
Meu jardim, meu jardineiro. Minha estética e minhas verdades.
O brasileiro não percebe o verdadeiro sentido e importância da conservação da natureza.
Envie seu artigo
Queremos convidar você para ajudar-nos a enriquecer as nossas publicações.
Paisagismo na arquitetura
Uma obra arquitetônica permite diálogo com a área externa.
Folhas e flores iluminam lugares habitáveis
Um lugar sem plantas, sem crianças é um ambiente sem vida, sem alegria.
Sobre Jardins
Leia este artigo, escrito, imaginem, a alguns séculos atrás.
Lar verde lar
Imagine morar em harmonia com a natureza.

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br