Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
TerraCottem  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
Uma casa sem jardim não tem alma.
 
 
 
 
 
Natureza humana

Saiba por que ter em casa uma plantinha faz tanta diferença e descubra que tipo é o melhor para seu espaço.
 
Que é gostoso ter uma planta em casa todo mundo sabe. Um vaso ou dois ou mesmo uma floreira dão um toque especial ao ambiente, uma coisa assim... meio... meio o quê? Afinal, o que é que as plantas têm que deixam qualquer ambiente mais agradável? Qual é a raiz do prazer de andar em um lugar arborizado? A resposta pode parecer estranha, mas gostamos de ter plantas por perto porque fomos feitos para andar no meio delas, mesmo. Por vários pontos de vista, inclusive o genético, ainda somos os mesmos bichos que alguns milhares de anos atrás perambulavam pelas savanas vestindo peles e caçando para sobreviver. Em outras palavras: gostamos de mato porque ele é o nosso habitat natural. Tudo bem, ninguém nos obrigou a viver em casas e cidades, nós as construímos para ter mais conforto, proteção e tal. Mas lá no fundo da alma ainda há uma porção selvagem que pede um pedaço de verde à vista. Ao se aproximar da natureza o homem percebe, mesmo que de maneira inconsciente, que em épocas imemoriais esteve diretamente ligado a tudo o que era natural.
 
Ou seja, o maior mérito de um jardim não é ser bonito, e sim emocionante. "Um jardim é o local em que o homem compartilha as emoções da sua origem com a natureza, é um ecossistema que envolve as pessoas emocionalmente". É aí que entra o paisagista, cuja missão é plantar um ambiente que desperte a emoção que o cliente desenhou dentro de si. Uma tarefa nada fácil, convenhamos. O jardim pode ser aconchegante, selvagem, rústico, tropical. Por isso, em um projeto paisagístico nada é por acaso. Escolhem-se a dedo flores que atraiam beija-flores, borboletas, bem-te-vis e joaninhas, por exemplo. O mesmo serve para árvores, folhagens e arbustos que se encarregarão de criar sensação de aconchego, composição de cores, volume, formas e sombra - e também isolamento acústico e barragem de vento.
 
Moita de estimação
 
Mas não é preciso ter um quintal ou um jardim para viver bem. Em um apartamento ou uma casa sem espaço externo pode-se preencher a cota necessária de verde com vasos ou floreiras. Tanto faz. Só não esqueça que uma planta não é um elemento meramente decorativo, ela é um ser vivo. Quem recorre às plantas para dar vida ao ambiente deve dispensar ao verde os mesmos cuidados dados a um animal de estimação. Portanto, assim como ninguém compra um imenso dogue alemão para morar em uma quitinete, não adianta ir a uma loja de mudas e pedir por determinada planta, só porque você quer ter uma em casa. Antes, é preciso estudar o ambiente que se pretende verdejar. Só depois é que se escolhe a espécie. Para começar, faça como um paisagista: observe a luminosidade. A incidência da luz no ambiente é o principal parâmetro para definir o que plantar. Grosso modo, há quatro graus de luminosidade: claridade, meia sombra, sombra e escuro. Analisar a circulação de ar e se bate muito vento no local também é relevante, já que toda espécie gosta de ar, é claro, mas nem todas se dão bem com vento. Mapeado o ambiente, a partir daí é questão de gosto. Escolha a planta que preferir entre as que se dão bem no canto disponível.
 
Como regra geral para ambientes internos, as plantas ornamentais que atingem até 2 metros de altura são as mais indicadas, pois se adaptam melhor. Em condições naturais elas vivem abaixo de árvores mais altas e não recebem luz solar direta.
 
Mas há exceções. O bambu-mossô, adorado por muitos, precisa de espaços com pé direito alto, muito sol e dificilmente sobrevive numa sala, assim como plantas que dão flores, que também precisam de sol direto. Uma dica importante para marinheiros de primeira viagem: "Escolha a planta para a sua casa e não as que viu num filme ou programa de televisão porque aquele ambiente é bem diferente de onde você mora"
 
Uma parte importante do contrato que você assume com esse ser verde que está levando para casa é ter olhar afinado para observar seu comportamento. Não basta esquecer o vaso num canto achando que ele vai se virar sozinho. Claro que no início a planta passa por um período de adaptação e é natural que fique um pouco sem vida. Mas passados 60 dias ela começa a se acostumar com o novo espaço. Aí entra a sensibilidade do proprietário para ver como a planta está reagindo. Se estiver sentindo falta de luz, as folhas nascem menores e ficam mais pálidas e as folhas inferiores amarelam, é assim que funciona o alarme da planta.
 
Amizade enraizada
 
Rega e adubação são outros cuida­dos ultra‑importantes, já que todo ser vivo precisa se alimentar corretamente. Com o tempo os nutrientes e sais minerais da terra vão escasseando e o reflexo é uma planta sem viço, com folhas pequenas e que vai definhando. Se você não quer assinar o atestado de inaptidão para cuidar dela, encare-a como um membro da sua família (ué, você não faz isso com seu gato ou cachorro?) e trate-a com a maior atenção.
 
Faça uma mistura de 5 gramas de adubo foliar diluído em 2 litros de água e regue o vaso com esse composto, colocando apenas a quantidade de água necessária para cada vaso. Uma receita mais flexível para quem garante não ter muito tempo para as plantas. A cada quinzena ou mensal­mente a terra deve ser levemente afofada e receber adubo orgânico ou húmus. Assim a planta recebe o alimento de que necessita e equilibra-se a acidez da terra - solo ácido não permite que a planta assimile o fósforo e o nitrogênio, paralisando seu desenvolvimento.
 
Outro vilão é o excesso de água, que apodrece as raízes e mata a planta. Para não prejudicá-la, informe-se na loja em que comprar o vaso qual é a proporção de água e a periodicidade ideal de rega. Outro bom conselho é que só uma pessoa cuide das plantas. Assim ela sempre vai saber quando regou, quanto colocou de água e quando adubou. Isso evita risco de excesso ou falta de água ou adubo.
 
Enfim, já deu para perceber que cuidar de uma planta dá trabalho. Portanto, se você quer apenas embelezar um cantinho de casa, melhor arranjar um quadro ou outra peça de decoração. Deixe o verde para quando você tiver paciência e atenção para observar os sinais que a plantinha envia.
 
Se a pessoa tem um vaso para se aproximar do verde, deve se deixar levar e aprender com a planta. É melhor ter só uma e cuidar bem dela do que ter várias e não dar conta. Vendo a planta dessa forma, quem sabe você tenha a mesma sorte. Depois de nove anos tratando bem de uma espada-de-são-jorge, neste verão ela me presenteou com flores. À noite, era uma delícia sentar na varanda do apartamento e sentir um perfume semelhante ao do jasmim. Viu como a planta merece atenção? Ela não abana o ramo, mas sabe retribuir.
 
 
 
Fonte: Revista Vida Simples
 
 
 
 
 
 
 
Terapia ocupacional no jardim
O uso de jardins na psicologia - Artigo enviado por nosso leitor Kaio Emmanuel Farias estudante de Publicidade da Universidade São Judas Tadeu . SP - Postado em 13 julho 2017
A arte de cultivar virtudes
O garoto, de 4 anos de idade, aprendia a cultivar e a cuidar das plantas com o exemplo do seu avô.
Queda de árvores e soluções
Artigo enviado pelo autor José Roberto dos Santos, que tem 35 anos de experiência trabalhando como jardineiro.
Morar em um condomínio é viver no Jardim do Éden?
Talvez a idéia que temos do Paraíso seja bem próxima de um lugar protegido do caos exterior ....... Por Raul Cânovas
A crise e o estresse
Uma das formas mais interessantes de combater o estresse é a de se relacionar melhor com a natureza.
O dia em que a terra brotou
Hoje busco pessoas que acreditam em mudanças para uma grande mobilização social voltada para a educação ambiental.
Curiosidade infantil
Planta sente dor? A criança me fitou e disse: "É pro senhor mesmo que perguntei!"
Vc sabe o que é Biomimética?
É uma nova ciência que nos convida a aprender com a natureza.
Paisagismo e seus estilos
Para definir o jardim que queremos em nossa residência, além de termos o cuidado da escolha de um bom profissional, temos que ter em mente a variedade de opções, estilos e técnicas de plantio.
Qualidade de vida pela arborização
Um exemplo a ser seguido em uma cidade de Angola na África.
Coitadas das nossas árvores, coitadas de nossas calçadas
Caminhando pelas calçadas de nossas cidades, quase sempre danificadas por buracos e dos mais variados obstáculos, vemos as árvores.
Origem das flores ainda é mistério para a ciência
Darwin certa vez escreveu que a evolução delas continuava a ser "um abominável mistério".
Um presente inesperado
Ao ganhar de presente uma muda da minha flor preferida, a magnólia-rosa, nunca imaginaria a surpresa recebida...
Paisagismo: o florescer de uma profissão
Paisagismo: o florescer de uma profissão
Paisagismo do Futuro: Sustentabilidade verde
Jardins sustentáveis, ajudando as cidades a alcançarem a sustentabilidade. Qual a importância das áreas verdes nas cidades e conceitos de jardins sustentáveis.
A Sabedoria do Jardineiro
O jardineiro representa a melhor metáfora para designar o perfil de um novo profissional.
Abandono e incompreensão ameaçam legado de Burle Marx
No centenário de nascimento do célebre paisagista,especialistas cobram atenção a sua obra.
Para evitar uma barbárie na destruição da orla marítima no município da Penha - SC.
Apoio de paisagistas conscientes.
Substitua as espécies invasoras de seu jardim
A escolha adequada das plantas é essencial para que não haja nenhum dano ao meio ambiente.
Somos o que somos, mas amamos o que fazemos
Consegui me apaixonar por uma outra profissão: a de paisagista.
A lição do Jardineiro
Uma boa lição para nós! Como o jardineiro sábio, cuidamos das mudinhas das afeições com carinho e as deixamos florescer.
A criança e o jardineiro
Ensinamento.
O seu jardim determina a sua energia
Quando cultivamos uma planta, estamos na realidade cuidando de uma semente de energia.
A flor dos reis
Ao maior dos reis, leve um feixe de orquídeas.
Mais alimento e florestas no ar
Avidez das plantas por gás carbônico abre perspectivas de produzir mais alimento em menos espaço e de amenizar o aquecimento global.
Meu jardim, meu jardineiro. Minha estética e minhas verdades.
O brasileiro não percebe o verdadeiro sentido e importância da conservação da natureza.
Envie seu artigo
Queremos convidar você para ajudar-nos a enriquecer as nossas publicações.
Paisagismo na arquitetura
Uma obra arquitetônica permite diálogo com a área externa.
Folhas e flores iluminam lugares habitáveis
Um lugar sem plantas, sem crianças é um ambiente sem vida, sem alegria.
Sobre Jardins
Leia este artigo, escrito, imaginem, a alguns séculos atrás.

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br