Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
TerraCottem  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
Projeto de paisagismo não é orçamento sem compromisso
 
 
 
 
 
Pirataria de flores e plantas prejudica setor de floricultura

Novas cores, novas formas, maior durabilidade, alta produtividade. As mais belas flores e plantas ornamentais utilizadas por decoradores ou comercializadas em floriculturas e supermercados são, geralmente, resultado do melhoramento genético. Para produzi-las, entretanto, empresas e agricultores precisam investir em mudas legalizadas, o que nem sempre acontece. A afirmação é da Sociedade Brasileira de Proteção de Cultivares de Flores e Plantas Ornamentais (ABPCFlor) que em junho, promoveu uma marcha para alertar sobre o problema.

Chamada de pirataria, essa prática se configura quando produtores ou empresas produzem ou propagam novas variedades sem licenciamento. “As novidades do setor só podem ser cultivadas se adquiridas as mudas legalizadas”, explica a presidente da ABPCFlor, Clarice Bocchese da Cunha Simm.

Além de praticar pirataria e violar a lei, produtores que optam por plantar mudas ilegais incorrem em concorrência desleal em relação àqueles que usam as variedades protegidas por lei. “Os agricultores legais são os mais prejudicados pela pirataria, pois investiram em contratos de licenciamento junto a empresas melhoristas ou universidades para terem novidades nos seus cultivos”, afirma Clarice Simm. Ao comprar a muda não licenciada, o produtor irregular paga menos pela muda e, com menos custos, vende mais barato, o que coloca o agricultor legal em clara desvantagem.

Desaquecimento e custo social

Outra consequência do problema é o desaquecimento do setor por conta do desinteresse de empresas melhoristas em relação ao Brasil. “As novas flores e ornamentais que estão no mercado foram desenvolvidas por um melhorista, também chamado de obtentor. Em função desse trabalho, temos novidades que despertam o consumo”, declara a presidente da Câmara Federal Setorial de Flores e Plantas Ornamentais, Silvia Van Rooijen. A pirataria fecha as portas do Brasil às variedades recém desenvolvidas, pois os melhoristas não desejam a entrada de seus produtos em um país que não respeita o trabalho de melhoramento, cujos resultados demoram anos ou décadas. “Os produtores ganham por vender flores mais bonitas, então é natural que se pague pela possibilidade de cultivá-las e de lucrar com elas”.

Segundo Silvia Van Rooijen, as variedades permitem novos cultivos, o que gera oferta de produtos para atacadistas e floriculturas, terminando por chegar às mãos dos consumidores finais, interessados em flores originais, mais bonitas e duráveis. “Todo esse processo representa também mais emprego. Quanto mais novidades, mais a floricultura se desenvolve e mais gente é contratada Brasil afora”. Na avaliação da presidente, a pirataria, ao prejudicar a entrada de variedades no país, tem consequências sociais.

Clarice Simm ainda acrescenta que o problema freia o investimento na pesquisa nacional, já que os profissionais da área não se sentem estimulados a desenvolver produtos. “A proteção ao trabalho intelectual é fundamental, sendo a única forma de garantir que teremos no mercado produtos de primeira linha e que caminharemos lado a lado com a floricultura mundial”.

Suporte técnico e padrão internacional

O plantio de mudas licenciadas garante mais do que respeito à lei de proteção de cultivares, implantada no Brasil em 1997. Isso é o que afirma o agricultor Francisco Issao Saito, que produz rosas em Atibaia (SP). Produtor há mais de 40 anos, ele migrou para as plantas certificadas no início da década e não se arrependeu. “Existe o custo do royalty sim, mas é amortizado porque conseguimos um produto muito melhor. Tenho suporte técnico, novidades e informações que antes tinha de viajar para outro país para receber”, conta.

Segundo Saito, as mesmas variedades lançadas na Europa são oferecidas a ele, que planta as novas rosas em sua fazenda.

Ao aderir ao plantio de rosas licenciadas, ele pôde receber variedades “top de linha” e ter acesso à orientação especializada. “Por sermos legalizados, conseguimos, por exemplo, visitar fazendas no Equador e na Colômbia e aprender a plantar de forma mais eficiente. A partir desse intercâmbio, conseguimos plantar com informação técnica muito rica”. Tudo isso permitiu a Francisco Saito oferecer produtos mais interessantes ao cliente. “Nossa ofertar melhorou muito e alcançamos um padrão internacional”.

“Vale a pena ser legal”

Com esse slogam, 50 representantes de produtores, empresas e entidades participaram da 2ª Marcha contra a pirataria realizada em junho, durante a Hortitec, mega feira de horticultura em Holambra (SP).

Batendo palmas e vestindo camisetas azuis com a logomarca da campanha, os participantes desfilaram pelos corredores do evento atraindo a atenção de expositores e visitantes. “Nossa intenção foi colocar o assunto da pirataria em foco. Conseguimos isso e faremos uma nova marcha no próximo ano”, fala Silvia Van Rooijen.

A ABPCFlor

Ações educativas como a Marcha são o alvo da ABPCFlor, entidade criada em 1998. Com sede em Holambra, a Cidade das Flores, a instituição ainda busca nas esferas federais o aprimoramento da Lei de Proteção de Cultivares no Brasil. A proposta é ampliar no cenário nacional o respeito ao trabalho intelectual dos melhoradores, permitindo aos produtores brasileiros o mesmo acesso às novidades em flores e plantas que são oferecidas ao mundo.

Por: Silvana Godoy



Fonte: Assessoria de Imprensa ABPCFlor/ Marcha Contra a Pirataria















 
 
 
 
Jardins do diabo: a árvore amazônica que abriga um 'exército assassino' (novo)
Em meio à densidade da Floresta Amazônica existem clareiras misteriosas que contrastam com a diversidade da vegetação. - Postada em 13 julho 2017
Plantas invasoras
Uma planta que se desenvolve em um local diferente do lugar original é chamada de espécie introduzida ou exótica. - Postada em 16 junho 2017
As plantas ouvem
As raízes das plantas percebem os sons provenientes das fontes hídricas e escolhem aquela direção para se nutrir, crescer e se desenvolver.
Terracottem - uma revolução para as plantas
Diminui a necessidade de irrigação em até 75%, aumenta em até 60% a eficácia dos nutrientes, reduz os custos com mão de obra, plantio e manutenção entre 25 a 75%. Os custos de reposição levam a uma redução na mortalidade de plantas entre 20 e 100%.
Primeira floresta vertical da Ásia terá 3 mil plantas e capacidade de gerar 60 Kg de oxigênio por dia (novo)
É a retomada do verde nas cidades.
Plantas que produzem eletricidade, um sonho que vira realidade
Um arrozal capaz de produzir eletricidade dia e noite para uma aldeia isolada da Ásia é um sonho que toma forma na Holanda, com um sistema gerador de energia usando plantas que crescem em ambientes alagados.
Portal Paisagismo Brasil - 14 anos
Muito nos orgulhamos do que nasceu de um sonho, informar e conscientizar as pessoas com relação a temas ligados à natureza.
Dicas sustentáveis para afastar os mosquitos de sua residência e quintal
Nunca é demais repetir sempre, todos os cuidados que se deve ter com este inimigo tão pequeno e incômodo.
Seis tipos de plantas funcionam como repelentes naturais de insetos
A melhor opção, mais saudável e ecológica, é criar plantas que repelem insetos em seu jardim.
Startup paulista cria sensor que ajuda esquecidos a regar plantas
Dispositivo mostra uma luz vermelha quando solo está seco. Ao molhar a terra, aparelho fica verde.
Na briga contra o Aedes botânicos pedem deixem as bromélias em paz
De vilã a heroína: especialistas defendem que as plantas ajudam o homem no combate.
Adote uma planta ameaçada
O Jardim Botânico de IBUNAM no México tem esta iniciativa.
Floresta Amazônica está doente com muito sol e falta d'água
Pesquisadores do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG investigam espécies submetidas a severas condições de estresse ambiental, com excesso de sol e falta d'água.
Encontrado o gene responsável pela reação das plantas ao toque
Plantas sujeitas a stress mecânico causado, por exemplo, pelo toque, não podendo fugir, adaptam-se fisiológica e morfologicamente para sobreviver.
Produtores de flores e plantas ornamentais expandem produção
Brasil é o terceiro maior produtor e segundo maior exportador mundial do setor.
Planta africana contém substância eficiente contra dependência química
A ibogaína é pelo menos cinco vezes mais eficiente para interromper a dependência química do que tratamentos convencionais.
Lançamento do livro PAISAGISMO (S) NO BRASIL
21 de 0utubro de 2014 de Rubens de Andrade.
As recém descobertas habilidades vegetais
Como as plantas "falam" umas com as outras.
Estudo ajuda a desvendar a linguagem das plantas
Nova pesquisa descobriu particularidades genéticas relacionadas à produção de compostos químicos que permitem a comunicação entre as plantas.
Humanidade aumenta reservas de grãos perante cataclismos iminentes
O maior acervo de plantas agrícolas no mundo foi completado por sementes de 20 mil plantas, procedentes de 100 países.
Nasa planeja cultivar vegetais na Lua em 2015
Nasa vai dar o primeiro passo para que, no futuro, o homem permaneça por períodos mais longos no espaço.
Curso: Aprenda a cuidar de suas plantas - FLORIANÓPOLIS - SC
No Jardim do Rancho - Espaço Natural para Eventos
Dia Nacional do Paisagista
04 de outubro
Primavera
Primavera da vida, mudança na natureza e nas pessoas.
Dia da árvore
É nossa responsabilidade protegê-las!
Plantas e animais podem perder metade de seu espaço vital com aquecimento global
O aumento das emissões de gás de efeito estufa colocam o planeta em uma trajetória de aquecimento.
Aplicativo mapeia árvores urbanas para controlar a saúde das plantas
O uso a tecnologia para classificar as espécies da floresta urbana.
Telhados vivos são solução para a falta de verde nas grandes cidades
Que tal ter uma área verde extra onde você mora ou trabalha.
Plantas que brilham no escuro podem mudar a forma com que produzimos luz
A ideia é identificar os genes de algas bioluminescentes.
Plantas podem ouvir umas as outras, indica estudo
Plantas usam um mecanismo desconhecido para detectar outras plantas quando todas as vias de comunicação estão bloqueadas exceto o som.

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br