Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
A natureza tem sempre razão.
 
 
 
 
 
Planta depende de pássaro

São os pássaros que dependem das florestas ou as florestas que dependem dos pássaros?

Para o observador desavisado, parece que são os pássaros que dependem das matas. Afinal, é nelas que as aves fazem seus ninhos, coletam frutas e insetos e cantam para atrair seus pares. O desmatamento faz desaparecer os pássaros, que voltam quando elas são recuperadas.

Mas a relação entre plantas e pássaros é muito mais complexa. Agora, pela primeira vez, os cientistas demonstraram que a extinção de pássaros pode levar à extinção de plantas.

Faz muito tempo que se sabe que pássaros prestam serviços às plantas. O exemplo mais conhecido é o de transportá-las para novos ambientes. Muitos pássaros carregam no intestino as sementes ingeridas junto com as frutas. Quando as fezes são depositadas em locais distantes, a semente, que sobrevive ao processo digestivo, germina. Com isso, as plantas se espalham por novos ambientes, apesar de estarem fixas ao solo.

Outro serviço prestado pelos pássaros é o de polinização. Ao voarem de flor em flor, alimentando-se do néctar, muitos pássaros carregam pólen, o que permite a fertilização das flores e a produção de sementes. É um serviço semelhante ao executado pelas abelhas.

Apesar de esses serviços serem bem conhecidos, nunca foi possível demonstrar que eles eram essenciais para a sobrevivência de uma espécie de vegetal. Até agora, acreditava-se que os pássaros ajudavam as plantas a se reproduzir, mas não eram absolutamente necessários para sua sobrevivência.

No século 19, diversos mamíferos devoradores de pássaros foram introduzidos pelo Homo sapiens na ilha principal da Nova Zelândia. Como resultado, 49% das espécies de pássaros desapareceram da ilha.

Mas o lado sapiens dos neozelandeses teve a sabedoria de transformar as pequenas ilhas que circundam a ilha principal, algumas a menos de 20 quilômetros de distância, em santuários e áreas de preservação. Nelas, não é permitida a presença dos predadores.

Essa situação permitiu aos cientistas estudar o que ocorreu com a população de plantas após o desaparecimento dos pássaros. A planta escolhida foi um arbusto abundante chamado Rhabdothamnus solandri. Essa planta, que produz flores amarelas, é visitada por três espécies de pássaros. Duas delas, Anthoris melanura e Notiomistes cincta, desapareceram da ilha principal; sobrou apenas o tui (Prostemadera novaeseelandiae). Nos santuários, os três pássaros estão presentes.

Menos sementes. Quando os cientistas mediram a porcentagem das flores fertilizadas em cada ambiente, descobriram que, na ausência de pássaros, 69% das flores não haviam sido polinizadas - enquanto 15% das flores não eram polinizadas na presença de pássaros.

Entre as flores polinizadas, os cientistas contaram o número de sementes produzido por flor, que caiu de 232 para 37 na ausência de pássaros. A combinação desses dois efeitos, causados pela ausência de dois dos três pássaros, resulta numa redução de 84% na quantidade de sementes produzidas. Isso foi confirmado quando foi medida a fração das flores visitadas pelos pássaros. Na ilha principal, somente 25% das flores eram visitadas, enquanto 78% das flores eram visitadas nas ilhas pequenas.

O resultado dessa queda no número de sementes ficou evidente quando os cientistas estudaram a população da planta nas duas ilhas. Na ilha principal, ainda existe um grande número de arbustos adultos (a planta vive quase cem anos), mas a população de plantas jovens é muito reduzida. Isso não ocorre nas ilhas pequenas, onde plantas jovens convivem com as plantas mais velhas.

O efeito dessa redução no número de plantas jovens permite prever que esse lento declínio e envelhecimento das plantas na ilha principal podem levar à extinção dessa planta nas próximas décadas.

Finalmente, para garantir que esse fenômeno não era causado por alguma outra causa que não a ausência de pássaros, os cientistas, durante um período de cinco anos, fertilizaram manualmente algumas plantas em uma pequena área (fazendo o papel dos pássaros); em outras áreas, adicionaram sementes ao solo. Nos dois casos, a população de plantas voltou ao normal.

É o primeiro caso documentado de uma planta cuja sobrevivência depende totalmente da presença dos pássaros. Ninguém sabe qual a fração das plantas que é totalmente dependente dos serviços prestados por esse animais. Como sempre, as relações entre as espécies de um ecossistema são muito mais complexas e interdependentes do que imaginamos.

Por: Fernando Reinach


Fonte de pesquisa: O Estado de São Paulo













 
 
 
 
Terracottem - uma revolução para as plantas (novo)
Diminui a necessidade de irrigação em até 75%, aumenta em até 60% a eficácia dos nutrientes, reduz os custos com mão de obra, plantio e manutenção entre 25 a 75%. Os custos de reposição levam a uma redução na mortalidade de plantas entre 20 e 100%.
Primeira floresta vertical da Ásia terá 3 mil plantas e capacidade de gerar 60 Kg de oxigênio por dia (novo)
É a retomada do verde nas cidades.
Plantas que produzem eletricidade, um sonho que vira realidade (novo)
Um arrozal capaz de produzir eletricidade dia e noite para uma aldeia isolada da Ásia é um sonho que toma forma na Holanda, com um sistema gerador de energia usando plantas que crescem em ambientes alagados.
Portal Paisagismo Brasil - 14 anos
Muito nos orgulhamos do que nasceu de um sonho, informar e conscientizar as pessoas com relação a temas ligados à natureza.
Dicas sustentáveis para afastar os mosquitos de sua residência e quintal
Nunca é demais repetir sempre, todos os cuidados que se deve ter com este inimigo tão pequeno e incômodo.
Seis tipos de plantas funcionam como repelentes naturais de insetos
A melhor opção, mais saudável e ecológica, é criar plantas que repelem insetos em seu jardim.
Startup paulista cria sensor que ajuda esquecidos a regar plantas
Dispositivo mostra uma luz vermelha quando solo está seco. Ao molhar a terra, aparelho fica verde.
Na briga contra o Aedes botânicos pedem deixem as bromélias em paz
De vilã a heroína: especialistas defendem que as plantas ajudam o homem no combate.
Adote uma planta ameaçada
O Jardim Botânico de IBUNAM no México tem esta iniciativa.
Floresta Amazônica está doente com muito sol e falta d'água
Pesquisadores do Instituto de Ciências Biológicas (ICB) da UFMG investigam espécies submetidas a severas condições de estresse ambiental, com excesso de sol e falta d'água.
Encontrado o gene responsável pela reação das plantas ao toque
Plantas sujeitas a stress mecânico causado, por exemplo, pelo toque, não podendo fugir, adaptam-se fisiológica e morfologicamente para sobreviver.
Produtores de flores e plantas ornamentais expandem produção
Brasil é o terceiro maior produtor e segundo maior exportador mundial do setor.
Planta africana contém substância eficiente contra dependência química
A ibogaína é pelo menos cinco vezes mais eficiente para interromper a dependência química do que tratamentos convencionais.
Lançamento do livro PAISAGISMO (S) NO BRASIL
21 de 0utubro de 2014 de Rubens de Andrade.
As recém descobertas habilidades vegetais
Como as plantas "falam" umas com as outras.
Estudo ajuda a desvendar a linguagem das plantas
Nova pesquisa descobriu particularidades genéticas relacionadas à produção de compostos químicos que permitem a comunicação entre as plantas.
Humanidade aumenta reservas de grãos perante cataclismos iminentes
O maior acervo de plantas agrícolas no mundo foi completado por sementes de 20 mil plantas, procedentes de 100 países.
Nasa planeja cultivar vegetais na Lua em 2015
Nasa vai dar o primeiro passo para que, no futuro, o homem permaneça por períodos mais longos no espaço.
Curso: Aprenda a cuidar de suas plantas - FLORIANÓPOLIS - SC
No Jardim do Rancho - Espaço Natural para Eventos
Dia Nacional do Paisagista
04 de outubro
Primavera
Primavera da vida, mudança na natureza e nas pessoas.
Dia da árvore
É nossa responsabilidade protegê-las!
Plantas e animais podem perder metade de seu espaço vital com aquecimento global
O aumento das emissões de gás de efeito estufa colocam o planeta em uma trajetória de aquecimento.
Aplicativo mapeia árvores urbanas para controlar a saúde das plantas
O uso a tecnologia para classificar as espécies da floresta urbana.
Telhados vivos são solução para a falta de verde nas grandes cidades
Que tal ter uma área verde extra onde você mora ou trabalha.
Plantas que brilham no escuro podem mudar a forma com que produzimos luz
A ideia é identificar os genes de algas bioluminescentes.
Plantas podem ouvir umas as outras, indica estudo
Plantas usam um mecanismo desconhecido para detectar outras plantas quando todas as vias de comunicação estão bloqueadas exceto o som.
Pesquisadores conseguem extrair energia elétrica de plantas
Os pesquisadores da Universidade de Georgia (UGA) resolveram extrair eletricidade das plantas.
Plantas que já fizeram sucesso agora voltam aos jardins
Paisagismo também segue tendências; descubra as espécies de plantas que estão na moda.
Lagartas deixam recados nas plantas para próximas gerações
Não são apenas os humanos que deixam lições para gerações futuras.

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br