Gilberto Matter Paisagismo  
Paisagismo  
Dicas  
Jardinagem  
Artigos  
Envie seu Artigo  
Plantas  
Idéias & Curiosidades  
Ecologia e Meio Ambiente  
Sem comentários  
Produtos  
Produtos exclusivos  
Novidades  
Classificados  
Promoções  
TerraCottem  
Cursos no Brasil  
Agenda de Cursos  
Agenda de Eventos  
Cadastro de Empresas  
Cadastro de Profissionais  
Teste: Ter um jardim?  
Newsletter  
Download  
Perguntas & Respostas  
Links  
Biblioteca Verde  
Cartões Virtuais  
Fotos do seu Jardim  
Galeria de Imagens  
Fóruns  
Cursos de Paisagismo e Jardinagem  
O Projeto  
Estrutura  
Parceria  
Cursos e Palestras  
Notícias do Centro  
Institucional  
Apresentação  
Colaboradores  
Parceiros do Portal  
Termos de Uso  
Política de Privacidade  
Opine  
Cadastre-se  
Anuncie no Portal  
Fale conosco  
 
O plantio é opcional, a colheita obrigatória.
 
 
 
 
 
Classificação das Plantas Ornamentais

Plantas ornamentais são aquelas que se distinguem pelo florescimento, pela forma ou colorido das folhas e pela forma ou aspecto geral da planta. Elas preenchem os espaços livres e adaptam-se a recipientes de enfeite, estabelecendo no mundo moderno o contato mínimo possível do homem com a natureza.

As plantas ornamentais formam diversos grupos quanto ao efeito que podem proporcionar; efeitos pelas flores e folhagem vistosa. Ambos grupos são utilizados na formação de conjuntos em canteiros, sombra ou pleno sol. São usadas isoladamente ou em vasos individuais, ou destinam-se à produção de flores cortadas. Podem ocorrer, as que produzem efeito misto, de flores e folhagem.

Segundo a sua estrutura, são herbáceas as plantas que possuem tecidos pouco consistentes e são lenhosas as que tem tecidos rijos, endurecidos que formam o lenho. Entre estes dois tipos básicos existem as semi-lenhosas e as semi-herbáceas.
As plantas têm ciclos vegetativos variáveis. São anuais as que o têm dentro de uma ou duas estações do ano, reproduzindo-se exclusivamente por sementes. São bienais as de ciclo que se estende por mais de quatro estações. Geralmente são cultivadas como anuais. Estes dois ciclos abrangem plantas herbáceas. São perenes quando o ciclo é longo, indeterminado.
Abaixo estão descritas a definição, função e alguns exemplos das plantas ornamentais, conforme sua classificação:


Árvores
: é toda vegetação lenhosa com tronco, copa definida e tamanho adulto superior a seis metros.

Função: ornamenta; produz sombra; diminui a amplitude térmica; diminui, orienta e controla ventos; ameniza a poluição sonora e do ar; atrai e abriga pássaros e outros animais pequenos; ajuda a manter o equilíbrio da natureza.

Exemplos: Salix babilonica (chorão), Delonix regia (flaboiã), Spathodea campanulata (espatodea), Melia azedarach (cinamomo), Cryptomeria japonica (criptomeria) .


Arbustos
: é toda vegetação geralmente lenhosa, com bifurcação a baixa altura ou rente ao solo, de tamanho adulto inferior a seis metros.

Função: ornamenta, delimita a visão e orienta a circulação das pessoas, proporciona privacidade, complementa linhas arquitetônicas, destaca ou esconde vistas pouco estéticas, forma cortina vegetal para a proteção do vento, pó e ruído.

Exemplos: Nerium olander (espirradeira), Rhododendron sp. (azaléia), Schefflera sp. (cheflera), Dracaena fragrans (dracena), Hydrangea macrophylla (hortênsia).


Trepadeiras
: toda vegetação caracteristicamente lenhosa que precisa de algum suporte ou tutor para crescer. O seu desenvolvimento adquire forma e direção variável de acordo com o objetivo pretendido.

As trepadeiras, de acordo com a característica de crescimento, podem ser classificadas em:

- Trepadeiras volúveis: o caule tem hábito de se enrolar em algum suporte de forma em espiral;
- Trepadeiras samentosas: os caules emitem órgãos fixadores, prendem as plantas ao suporte com raízes fixadoras, gavinhas e ganchos;
- Cipós: são trepadeiras que não possuem órgãos fixadores. Seus ramos no início crescem para cima, depois com o peso vergam para baixo, formando um arco. Desse arco sai novo broto que repete o ciclo;
- Arbustos escandentes: são plantas que adquirem porte arbustivo quando plantadas isoladamente, mas quando plantadas junto a algum suporte, espicham seus ramos e alongam seus caules a fim de se apoiar. Não possuem órgãos fixadores e precisam ser amarrados para se fixarem no lugar desejado.

Função: ornamenta, serve para destacar ou chamar atenção de detalhes arquitetônicos, cobre muro ou parede de aspecto desagradável, forma pergolados ou caramanchões, separa um ambiente do outro, alcança locais altos e distantes onde não existe terra para o seu cultivo e substitui os arbustos em locais muito estreitos onde não existe terra para o seu cultivo e substitui os arbustos em locais muito estreitos onde não há espaço suficiente para o desenvolvimento.

Exemplos: Allamanda cathartica (alamanda), Pyrostegia venusta (cipó-de-são-joão), Wistaria sinensis (glícinia)


Palmeiras e cicadáceas
: são plantas de variados portes com aspecto característico tanto do tronco como da copa. Seu tronco é chamado de estipe e suas típicas folhas são geralmente pinadas e flabeladas. São tipos que impressionam principalmente pela silueta esbelta.

Função: ornamenta, caracteriza uma região, complementa linhas arquitetônicas e atrai pássaros.

Exemplos: Euterpe oleracea (açaí), Butia eriospatha (butiá), Roystone regia (palmeira real), Cycas revoluta (sagu)


Plantas herbáceas
: são plantas com caule não lenhoso ou semi-lenhoso de porte variado, podendo adquirir a altura e os efeitos de um arbusto. Podem ser plantadas em locais de sombra ou não. Podem ser perenes e anuais.

Função: ornamenta, substituem os arbustos em locais sombreados, dependendo da cor ou textura de suas folhagens ou floração serve como contraste ou ponto atrativo.

Exemplos: Cactus spp. (cacto), Anthurium andreanum (antúrio), Canna spp. (biri), Viola tricolor (amor-perfeito), Tagetes spp. (cravo-de-defunto)


Plantas de forração
: são plantas com crescimento horizontal sensivelmente maior do que o vertical, que servem para cobrir a superfície do solo e que são distintamente diferenciadas dos gramados por serem geralmente intolerantes a insolação direta e ao pisoteio.
   
Função: ornamenta, protege o solo contra as erosões originadas do vento e das chuvas, serve para quebrar a monotonia de extensos gramados, forma desenhos ou emblemas e aumenta as opções de escolha e as possibilidades de soluções paisagísticas devido as diferentes texturas e cores das folhas.

Exemplos: Tradescantia sp. (trapoeraba), Portulaca sp. (onze-horas), Tropaeolum majus (chagas)


Gramado
: são superfícies do solo protegidas do intemperismo formada exclusivamente pela família das gramíneas (Poaceae).
 
Função: ornamenta, é imprescindível para alguns esportes, diminue o brilho do sol, funciona como um tapete e protege a superfície do solo.

Exemplos: Zoysia matrella (grama coreana), Axonopus affinis (grama curitibana), Melinis minutiflora (capim gordura)


Plantas suculentas
: são plantas que geralmente habitam regiões ou zonas áridas e possuem tecidos carnosos muito ricos em água, constituindo uma reserva hídrica para os longos períodos de seca.

Função: ornamental, caracteriza uma região

Exemplos: Euphorbia tirucalli (avelós), Kalanchoe sp. (calanchoe), Agave americana (agave)


Plantas aquáticas
: são plantas que se diferenciam das demais por habitarem o meio aquático.

Elas podem ser:

- Flutuantes: quando não possuem qualquer fixação, estão sempre a superfície da água. Preferem águas calmas;
- Emergentes: quando fixam as raízes ao solo, suas folhas e caules, a princípio submersos, posteriormente emergem e ficam em contato com a atmosfera. Sua floração é aérea.
- Submersas: quando nunca emergem na água. Fixam-se no solo e são muito utilizadas em aquários;
- Palustre: são plantas que crescem em lugares pantanosos. 

Função: ornamenta, diminue o brilho da água parada em grandes extensões, serve de alimento e abrigo dos peixes e continuação do verde que existe em envolta dos recipientes aquáticos.

Exemplos: Eichornia crassipes (aguapê), Elodea canadensis (elódea), Typha domingensis (taboa) . 



Fonte de pesquisa: Laboratório da Paisagem













 
 
 
 
Conheça os benefícios de ter plantas em casa (novo)
Plantas e flores têm o poder de embelezar qualquer ambiente e agradar a todos.
Espantar insetos com plantas (novo)
É possível reduzir a presença de insetos com o cultivo de plantas.
Antiestresse: cultivo de minijardins é ótimo exercício físico e mental (novo)
Ter e cuidar de um jardim em casa pode fazer muito bem para saúde.
Cor da hortênsia depende da acidez da terra; saiba como plantar e obter belas flores
Veja dicas e aprenda como cultivar a sua hortênsia.
Seis plantas para cultivar em casa que servem como repelente natural
Em épocas de epidemia de doenças uma das maiores preocupações das pessoas é cuidar da casa para ficar longe do mosquito Aedes aegypti.
Família norte americana produz 3 toneladas de alimentos orgânicos no próprio quintal
Você já imaginou poder encontrar todos os alimentos necessários para a sua dieta em seu próprio quintal?
Livro disponível on-line incentiva crianças a aprenderem sobre cactos
A editora do Instituto Nacional do Semiárido lançou o livro infantil "Cactos do Semiárido do Brasil, ler e colorir".
O que saber sobre as orquídeas
Você não precisa ter uma área gigante para cultivar lindas orquídeas.
Plantas que não intoxicam seus animais
Conheça o que pode e o que não pode estar perto de seu bichinho de estimação.
Sistema de tratamento ecológico recupera rios poluídos e cria jardins flutuantes
Além de melhorar a qualidade da água e aumentar a biodiversidade aquática, o sistema revitalizou a paisagem.
Parece um jardim mas é uma horta
Mais do que uma simples horta, um jardim de hortaliças pode ser tão vistoso quanto um que tivesse flores e plantas ornamentais.
O que é fertilizante e por que as plantas precisam dele?
Para que uma planta cresça e floresça, ela necessita de diversos elementos químicos diferentes.
Flores e seus significados
O que elas representam.
Rosa, a mais famosa das flores
Tudo o que você precisa saber.
Saiba como manter um jardim florido e bem cuidado no outono e no inverno
A palavra de ordem no jardim é uma só: manutenção.
Um jardim especial para os beija-flores
É possível garantir a visita dos beija-flores no jardim, plantando espécies reconhecidamente atrativas.
Animais x Jardins
Com a adoção de algumas práticas simples, é possível garantir um jardim saudável e um animalzinho feliz.
Aproveite espaços ociosos e monte uma horta em casa
Ter uma horta em casa é o meio mais interessante de ter contato com a natureza.
Plantas úteis trazem harmonia para o jardim
Pode parecer incrível, mas a "sábia natureza" oferece soluções naturais para a maioria dos problemas que surgem nos jardins.
Poda em Bonsai
A poda em Bonsai desempenha um papel fundamental para a manutenção estética da planta.
Dicas de como começar um jardim em sua casa
É possível ter jardins mesmo em casas pequenas ou apartamentos.
Plantas ajudam a regular temperaturas em casas
Veja como plantas podem ser aliadas do isolamento térmico.
Conheça mitos e verdades sobre o cuidado com as plantas
Entre os ensinamentos das avós e os conselhos da vizinha, há diversos mitos sobre o cuidado com as plantas.
Insetos, plantas e jardins
Jardineiros profissionais e agricultores utilizam insetos benéficos como a sua primeira forma de controle de pragas.
Plantas dentro de casa
Condições para que a planta sobreviva dentro de casa.
Dicas de impermeabilização para jardins e floreiras
Alguns cuidados são necessários para que a umidade de jardins e floreiras não se tornem um problema.
Primavera
A estação das flores.
Receitas caseiras para cuidar do jardim
Combater pragas e doenças com receitas naturais, não prejudicam o meio ambiente.
O surgimento do Bonsai
Esta arte milenar difundida em todo o mundo, surgiu no século III a.C. na China.
Descubra plantas e ervas que podem fazer mal em excesso
Na hora de ingerir chás e saladas é preciso equilíbrio.

 

© Copyright 2002 - Paisagismo Brasil
Webmaster
Email: gm@paisagismobrasil.com.br